Considerado maior traficante de Goiás, Iterley é condenado por homicídio

Acusado de comandar o tráfico de drogas e ordenar assassinatos em Goiás, Iterley Martins da Costa foi condenado a 16 anos de prisão por homicídio duplamente qualificado, ou seja, por motivo fútil e que a vítima não tinha possibilidade de defesa.

O julgamento ocorreu na última quarta-feira (9), no Fórum do Jardim Goiás, em Goiânia.

A vítima de homicídio, Paulo Marcos Rodrigues da Silva, conhecido como farinha, foi morta em janeiro de 2008, no bairro Vila Boa, na região sudoeste da capital. Iterley foi o mandante do crime, mesmo preso provisoriamente na época.

O conselho de sentença rejeito o posicionamento da defesa e concluiu que os motivos do crime decorrem da atividade criminosa do tráfico de drogas. Segundo o juiz presidente da sessão, Lourival Machado da Costa, foram levados em consideração os antecedentes desfavoráveis do réu e o comportamento da vítima, que seria um traficante menor e teria contraído dívida com Iterley.

Iterley já foi condenado pela Justiça a 52 anos e seis meses e prisão por homicídios e tráfico de drogas. Ele atualmente cumpre pena em um presídio federal de segurança máxima em Campo Grande (MS).