Modelo é presa por fazer ensaio nu em antigo templo egípcio

Uma modelo belga denunciou ter sido presa após posar para ensaio nu em um antigo templo egípcio. Marisa Papen viajou com o fotógrafo australiano Jesse Walker ao Egito para fotos em cartões-postais do país do Norte da África, com o objetivo de mostrar as suas diferenças culturais, políticas e religiosas com o Ocidente.

Em blog, Marisa disse ter sido presa e posta diante de um juiz por causa das fotos. O caso ocorreu em abril, segundo a belga, mas só agora foi revelado.

Inicialmente, a dupla foi até as pirâmides de Gizé. Marisa contou ter subornado um guarda para começar as fotos. Porém, no meio do ensaio, outros dois guardas apareceram.

“Tentamos explicar que estávamos fazendo arte com o mais alto respeito pela cultura do Egito, mas eles não puderam ver a conexão entre arte e nudez”, comentou Marisa, segundo reportagem do “Sun”. “Na visão deles, era algo pornô“, acrescentou.

No fim, novo suborno. Com o equivalente a R$ 60 reais conseguiram evitar maiores problemas pelas fotos.

Marisa Papen
Marisa Papen com as pirâmides de Gizé ao fundo

Depois, a dupla viajou até Luxor, a fim de fazer cliques no templo de Karnak, que estava mais vigiado que Gizé. Marisa e o fotógrafo se esconderam no templo pouco antes do horário do fechamanto. Com Karnak fechado, começaram o segundo ensaio nu no templo erguido aos deuses Amon, Montu, Mut e Khonsu.

Os dois acabaram descobertos por quatro seguranças. Marisa relatou que ela e Jesse foram “arrastados” a uma delegacia de polícia como “cães”. O fotógrafo conseguiu deletar as fotos a tempo e argumentar que só estavam testando a luz.

Marisa Papen no templo de Karnak

Sem provas, os dois foram liberados por um juiz apenas como advertência.

De volta ao hotel, Jesse conseguiu recuperar as fotos, que acabaram divulgadas.

O Ministério de Antiguidade do Egito se limitou a dizer que as imagens podem ser falsas.