Vitória da vida: Chape festeja sobreviventes, e Barça cumpre papel em festa no Camp Nou, 5×0

  • Alan Ruschel de volta ao futebol 252 dias após o acidente de 29 de novembro – e com boa atuação -, Neto e Follmann trocando passes uniformizados no pontapé inicial, jogadores de Barcelona e Chapecoense abraçados diante de um coração verde no gramado, e um monte de sentimento bom misturado: solidariedade, compaixão, renascimento. A frase “é muito mais do que futebol” foi levada ao pé da letra na noite desta segunda-feira no Camp Nou. Tanto que a goleada de 5 a 0 dos catalães ficou em segundo plano em um troféu Joan Gamper desde sempre apontado como celebração da vida. Messi, como de costume, brilhou e deixou sua marca. Deulofeu, Busquets, Suaréz e Denis Suárez completaram o placar.

    PRÓXIMOS COMPROMISSOSPassada a festa, a Chapecoense volta a jogar já nesta terça-feira no terceiro compromisso em três dias. O adversário será o Lyon, em amistoso às 13h (de Brasília), no Centro de Treinamento Groupama. Esta semana, o Verdão ainda segue para o Japão, onde decide a Copa Suruga contra o Urawa Red Diamonds, dia 15, em Saitama. Já o Barça tem clássico com o Real Madrid pela frente, domingo, às 17h, no Camp Nou, na primeira partida da Supercopa da Espanha.

    NÃO É SÓ FUTEBOLAlan Ruschel cumpriu muito bem seu papel na volta ao futebol. Sem medo de divididas, o camisa 28 participou bem do jogo nos 35 minutos em que esteve em campo, buscou tabelas com Apodi pelo lado direito de ataque, ajudou bem na marcação a Jordi Alba e deixou boa impressão para quem ainda colocava em dúvida seu retorno em alto nível. Logo no primeiro toque na bola, o lateral partiu para cima da marcação pelo meio e aplicou bonito drible em Busquets. Em cobrança de falta, mostrou também que a pontaria está afiada ao colocar a bola na cabeça de Luiz Otávio. Mais do que um sobrevivente, como fez questão de ressaltar, mostrou que voltou, sim, a ser jogador profissional.

    PARA CONTAR AOS FILHOS

     

    Elias teve os 45 minutos de fama no primeiro tempo do Camp Nou. Diante do massacre ofensivo de um Barcelona que chegava cara a cara sem forçar as ações, o goleiro teve atuação de gala ao para Messi em duas oportunidades, Suaréz em três e bela saída do gol nos pés de Jordi Alba. Defesa para contar para os filhos e colocar em um DVD. Terceiro goleiro até bem pouco tempo, o jovem mostrou que merece uma atenção especial para o restante da temporada.

    CRAQUE SEM FAZER FORÇASergio Busquets ganhou o troféu de melhor jogador em campo, mas não tem como fugir das reverências a Lionel Messi. Com um gol e duas assistências, o camisa 10 deu seu show particular para cima da defesa da Chapecoense. Sem Neymar, o argentino mostrou que o entrosamento com Suaréz segue igual.

    PRIMEIRO TEMPONão dá para negar: a Chape entrou em campo para evitar uma goleada histórica. E a julgar pelos 45 minutos iniciais, a missão foi bem cumprida. Diante do rival em ritmo de treino e com Elias inspirado, o time reduziu os espaços na entrada da área e foi para o intervalo com três gols da bagagem – um a menos que o Santos, há quatros anos, por exemplo. Na base do tiki-taka, Deulofeu, Busquets – em lindo chute de fora – e Messi balançaram as redes. Os destaques, entretanto, foram o goleiro da Chape e, obviamente, Alan Ruschel.
    Escalado no lado direito do ataque, o sobrevivente teve boa participação e foi ovacionado de pé ao dar lugar a Penilla, aos 35 minutos. Com bola rolando, ninguém mereceu mais destaque do que Elias, com defesas para guardar para vida inteira. Dentro da área, parou Messi duas vezes, Suaréz três e Jordi Alba, impedindo uma goleada. Já a participação ofensiva do Verdão foi rara, com duas finalizações para fora, de Wellington Paulista e Luiz Otávio.